É nóis, maluco

Olha, eu não sei como você caiu aqui. Mas já que tá, não custa um comentário p'ra deixa pegada forte na opinião do baguio. Suave!

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Vai, Luiz


O Luiz, Luizinho para os mais íntimos, já não é mais o mesmo.

Mas pouca gente percebe. É difícil de perceber. Ele já não faz micagens em mesa de bar, seu olhar ficou lento e seus movimentos também.

Luizinho não consegue ficar sozinho. E mesmo quando quer ficar sozinho (essas necessidades egoístas), ele quer ficar sozinho com gente. Fica quieto.

Já não pensa muito nas roupas com que vai sair, liga para pouca gente, e quando tá afim de olhar para si, mergulha em seus óculos escuros.

Ninguém sabe o que aflige Luíz. Na verdade, pouca gente reparou que ele mudou.

E não é por descaso. Sempre quando se dão conta de que Luiz está quieto, tentam animá-lo e ele responde com um sorriso de canto de boca.

Considera sua imaginação um equívoco.
Falta fé em Luíz. Só Fé!

E é tanta coisa...



11 comentários:

Danilo disse...

Vai, Luiz. Mostra pra eles que não é fácil deixar de ser rei dos mendigos.

thim disse...

luiz...luiz... espero que pelo menos, goste dos que tentam te animar...
mudou sim...ainda bem...ficar parado não é pra nóis.

diogo disse...

fé em si mesmo, talvez? e eu discordo que a fé seja "tanta coisa". pode ser pra quem tem fé, mas pra quem não tem é nada. isso é óbvio, mas o que digo é: por que seria valiosa uma coisa que não se tem?

danilo disse...

Sr. Diogo: por que o valor das coisas é a medida do quanto não as temos. O juros é o valor do tempo que levamos para honrar a dívida e assim vai.

O valor da fé, se a temos, é o de não ter Deus. Se não a temos é o de não crer que algo nos faça mudar de idéia.

Amanda Mantovani disse...

Deus está lá.
O trabalho dos que têm fé é vesti-lo com a roupa de mais interesse.
Acredite, o Luiz tem sim o que ele sempre precisou: oportunidade pra mudar. Hoje, ele pode. Hoje ele e os braços que se abrem a ele esperam que ele mude.
Só há, sempre, o medo.
Digno, doloroso e compreensível medo.
Luiz é menos por ter medo do próximo passo?
Não.
É desse turbilhão que Luiz tem que viver.

Vai Luiz, vai...

Renato Forner disse...

Gente, O Luiz tá famoso...

Amanda Mantovani disse...

Cínico...

Danilo (esse não é meu apelido, viu) disse...

Não o Luiz não tá cínico. Tá é famoso e não sabe. Ganhou até conversa de bar.
E olha que conversa de bar vale mais que missa sem fé.

Amanda Mantovani disse...

Atualiza!
Atualiza!

Deixa o Luiz em paz agora, gente...
Vamo em frente.

Atualiza!
Atualiza!

danilo disse...

Ai, que sem graça.
Tava gostando do Luiz.

Então vamos dar um tchau bem caloroso pro menino.

Tchau, Luiz.

Amanda Mantovani disse...

http://cordaodetralha.blogspot.com

ENTRA QUE É BOM!