É nóis, maluco

Olha, eu não sei como você caiu aqui. Mas já que tá, não custa um comentário p'ra deixa pegada forte na opinião do baguio. Suave!

terça-feira, 30 de junho de 2015

mar de estrelas

ele estava 1/4 vazio até chegar domingo. e talvez nem sabia. ou não queria saber. ele e o teatro se bastavam até o domingo. ele e suas discussões em mesa de bar. ele que adora um boteco, encontrar os amigos e falar sobre princípios e fins de universos. ele que tanto gosta de falar e se impor. que tanto defende suas ideias e suas causas. ele teve sua casa invadida naquele domingo. e uma bandeira fincada em seu terreno.
até agora não se sabe como ele chegou lá, naquele domingo. parece mesmo que foram séculos levado por ventos.
ele se vê naquele quintal: aquele churrasco. aquela música. aquela dança. aqueles risos. aquela gente festejando.
ele a olhou. e não esboçou reação. só permitiu que sua áurea reverberasse o convite. convite aceito cautelosamente. dois banquinhos, esses de plástico feitos para suportar ares com leveza. 15 minutos de conversa, ou meia hora, ou uma, ou duas, ou três horas. ou minutos. ou tempo que não existe. tempo parado - o "pedido" da outra boca - o pedido aceito - a comunhão. o beijo de boca de sorrisos, de leveza e descobertas. bocas que sem ansiedade decifravam mistérios.
daqui a pouco, ele no banco da carona. ele olhando para ela. tentando perceber a correspondência. ele com lágrimas que não caia. ele estava feliz. tinha certeza que encontrara gente rara. gente que se permite e se revela por beijos e sorrisos. e por voz mansa. e por delicadeza de corpo. essa gente rara que anda cercada de anjos de todos os tamanhos, de todos os tipos de cabelo, de toda cor de pele. gente que passa por provações e não perde a fé na vida e no fino trato com o outro.
ele teve um boa noite de sonhos no domingo. dormiu sem querer resolver o enigma daqueles olhos. aqueles únicos olhos. se permitiu ser adolescente e percebeu que não tem nada de bobo nisso. bobagem é resistir.
é, o padre estava certo:
a salvação está nos domingos!

Nenhum comentário: